O Centro de Atendimento Multifuncional de Tucano (CAMUT) está com o período para renovação de matrículas aberto. O prazo foi estendido até o dia 12 de março, devido ao atual cenário imposto pela pandemia. Já os encaminhamentos podem ser feitos ao longo do ano, mediante a disponibilidade de vagas.

Para que a criança possa ser inscrita para receber o atendimento no CAMUT, é necessário que a mesma esteja regularmente matriculada na rede pública municipal de ensino. A matrícula no CAMUT só é realizada mediante ao comprovante de matrícula da escola.

Segundo a vice-diretora da unidade, Ana Clara Macedo, é importante que o prazo de rematrícula seja cumprido para que as crianças deem continuidade às atividades que foram desenvolvidas em 2020. “Aquelas que não tiverem a matrícula renovada até o dia 12 serão encaminhadas para uma lista de espera”, sinaliza.

A Secretária de Educação Gerusa Araújo, conta que o plano de ação para retorno dos atendimentos no CAMUT já foi elaborado. “Devido à pandemia, os atendimentos estavam acontecendo de forma virtual. Nessa semana, teremos uma reunião para definirmos os detalhes quanto ao retorno gradativo e em segurança das ações presenciais”.

O Centro fica localizado no Bairro da Creche, na sede, e funciona de segunda à sexta-feira, das 08h às 12h e das 13h às 17h.

Sobre o CAMUT

O CAMUT recebe crianças com dificuldade de aprendizagem, transtornos mentais, altas habilidades e com superdotação ou atraso no desenvolvimento neuropsicomotor (DNPM). Também são recebidas crianças encaminhadas pelo Centros de Referência Especializado da Assistência Social (CREAS), pelo Centro de Referência da Assistência Social (CRAS), além do Conselho Tutelar.

As atividades realizadas no Centro promovem estímulos que desenvolvem novas habilidades. Por ter um caráter progressivo, é esperado que as crianças obtenham a capacidade de realizar funções cada vez mais complexas.

“Nós disponibilizamos de atendimentos de psicologia, fonoaudiologia, fisioterapia, psicopedagogia, terapia ocupacional, serviço social, neurologia, e oficinas pedagógicas terapêuticas de linguagem, matemática, artes, educação física e libras para alunos com surdez”, ressalta Ana Clara Macedo.

Nenhum comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *