Devido à estiagem e ao clima seco acentuados nessa época do ano, as denúncias sobre queimadas aqui em Tucano têm sido frequentes por parte da população. Através das redes sociais da prefeitura, a Secretaria Municipal de Comunicação (Secom) tem recebido diversos registros de focos de incêndio. As chamas, além de causar danos à flora e fauna locais, prejudicam a saúde dos moradores.

“Pessoas com problemas respiratórios – inclusive aqueles provocados pela Covid-19 – são as que mais sofrem, devido à fumaça. Estamos estudando e pensando em estratégias para atender com eficiência aos chamados para controlar o fogo o mais rápido possível”, afirma o Secretário Municipal de Agropecuária, Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Romilson Oliveira. De acordo com o gestor, o calor intenso é um dos principais fatores que aumentam os riscos de incêndio na região.

A denúncia mais recente foi na região do Entroncamento, perto da entrada de Caldas do Jorro. Houve também um alerta na sede de Tucano, próximo à avenida Antônio Carlos Magalhães. Outras queimadas sinalizadas à prefeitura foram no Alto da Boa Vista e também às margens da BR-116, próximas ao contorno que dá acesso a Caldas do Jorro. Também foi registrada uma queimada no final da avenida Padre José Gumercindo, perto do Hospital Mariana Penedo, e outra de grande proporção na localidade de Mato Verde.

As causas das queimadas podem ser as mais diversas, desde o descarte inadequado de pontas de cigarro em locais de vegetação seca, até a queima de lixo irregular. Vale ressaltar que o fogo provocado intencionalmente caracteriza crime ambiental. Segundo Romilson Oliveira, a colaboração do povo tucanense é essencial para diminuir a incidência das queimadas no município. “É importante que as pessoas entendam que as chamas fora de controle podem atingir casas e causar danos graves. É necessário redobrar a atenção”, afirma o gestor.

A nível nacional, o Brasil encerrou 2020 com o maior número de focos de queimadas em uma década, de acordo com dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). No ano passado, o país registrou 222.798 focos, contra 197.632 em 2019. Isso representa um aumento de 12,7% entre um ano e outro. Os números só ficam atrás do recorde de 2010, quando o país registrou cerca de 319 mil focos de incêndio.

Quem acionar

O Diretor Municipal de Meio Ambiente, Aguinaldo Bitencourt, orienta que, em caso de queimadas e incêndios, a Guarda Civil Municipal deve ser acionada através do número 153. A Polícia Militar também poderá dar suporte para isolamento da área e evacuação de pessoas do local.

“Há uma vontade da gestão de instituir uma brigada de incêndio especializada em Tucano. A viabilidade para isso está sendo analisada, mas ainda não há datas ou prazos definidos. Enquanto isso, trabalhamos com outros recursos para combater as chamas, como a disponibilização de carros-pipa”, conta o diretor.

Comentários está desativados.