Professores tucanenses escrevem livro sobre metodologias de pesquisa em educação e valorizam o sertão baiano


Um livro sempre tem muito a contar, além de ser um instrumento importante para ensino e aprendizagem. Diante disso, três professores tucanenses se reuniram e organizaram a obra (Episte)Metodologias no pensarfazer pesquisa em educação. O livro será lançado no dia 25 de fevereiro, no Congresso Virtual da Universidade Federal da Bahia (UFBA), às 16h30. A transmissão acontecerá no canal da Editora da Universidade (EDUFBA), no YouTube.

O livro – cuja ideia de elaboração surgiu em 2019 – aborda os diversos modos de estruturar e realizar pesquisas no âmbito da Educação, partindo das experiências pessoais e acadêmicas dos organizadores José Jackson Reis dos Santos, Ademar Sousa dos Santos e Maria José Firmino da Silva, bem como de outros(as) autores(as) de Tucano (professora Maria Conceição Pimentel dos Santos e professor Nilton Carlos Carmo Sousa), Vitória da Conquista, Espanha e Portugal.

A professora Maria Firmino, que é doutoranda em Educação pela UFBA e mestra em Educação pela Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), conta como foi o primeiro passo para criação da obra. “Em uma reunião informal com alguns pesquisadores e pesquisadoras da Educação nascidos(as) em Tucano, resolvemos levar adiante a ideia do livro. Sabíamos que nossas escritas deveriam estar pautadas em processos formativos que, de alguma maneira, pudessem contribuir também para outros processos formativos”, diz.

Segundo os organizadores, antes mesmo de ser lançada, a obra já ganhou repercussão na mídia nacional, uma vez que foi divulgada pelo Conselho de Secretários Estaduais de Educação (Consed). A expectativa é que, depois do lançamento oficial, o livro ganhe ainda mais evidência no mercado e alcance um público ainda mais amplo – principalmente na região de Tucano.

“Com certeza a publicação traz muitas contribuições para o nosso município, mas não só para ele, pois o livro é um instrumento sem fronteiras. Nosso desejo é que o livro possa ser visto como uma forma de encorajamento para tantas pessoas do sertão que possuem histórias de vida simples e sonhos grandiosos” conta Ademar Sousa dos Santos. O autor é professor de Sociologia e possui doutorado em Educação pela UFBA.

“A realização de uma pesquisa, nos contextos cotidianos, especialmente em educação, traz aos que enveredam por esses caminhos grandes desafios, reflexões, sistematizações e aprendizagens, especialmente por lidar com espaços habitados por diferentes sujeitos e suas percepções acerca das realidades que ajudam a concretizar”, completa José Jackson Reis dos Santos, também autor do livro. O educador é pós-doutorando pela Universidade de São Paulo (USP) e doutor em Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Sertão

A referência ao sertão na capa e contracapa do livro, entre outras razões, é a representação de lugares interculturais, de partidas, chegadas, entrelaçados nos múltiplos contextos de atuação, formação e inserção social dos(as) autores(as) que colaboraram com a elaboração do prefácio, da apresentação, dos capítulos e do texto da contracapa.

Um desses “lugares interculturais” é a Escola Municipal Cristóvão Colombo, localizada no Riacho do Boi, lócus da pesquisa de Maria José Firmino da Silva, que também é professora da rede municipal de ensino de Tucano.

De acordo com os organizadores, projetos futuros já estão sendo trabalhados, bem como há a perspectiva de lançamento de livros individuais. O prefeito de Tucano, Ricardo Maia Filho, e o vice-prefeito, Robson Ferreira, parabenizaram os autores pela iniciativa e apoiam a continuidade das publicações.

“Eles estão mostrando que a nossa cidade tem pessoas com grande talento e potencial. É sempre importante valorizar o nosso sertão e dar visibilidade aos projetos e frutos da nossa terra. Para nós, o livro é um orgulho e espero que muitos tucanenses e pessoas de fora possam se inspirar”, afirma o prefeito.

“Fico feliz em ver que o livro levará um pouco da nossa Tucano para todo o Brasil. Fui aluno de três dos professores que assinam a obra e me sinto representado. Que muitos outros projetos de sucesso venham pela frente”, diz Robson Ferreira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *